Animais no condomínio: 4 dicas para ter uma boa convivência com os vizinhos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Quem tem animais de estimação e mora em apartamento sabe que nem sempre é fácil ter uma boa convivência no condomínio. E isso pode acontecer por diversos motivos: desde o comportamento estressado do pet, com latidos e miados excessivos, até regras muito rígidas que limitam a presença e circulação dos bichinhos pelo prédio. 

No texto de hoje vamos mostrar quatro dicas que poderão ajudá-lo a manter uma boa convivência com os vizinhos sem precisar abrir mão da companhia do seu amigo de quatro patas. Confira!

1. Procure conhecer as normas de convivência do condomínio

Primeiramente, é importante saber que regimentos e estatutos internos não podem proibir a presença de animais em condomínios. Essa prática é considerada ilegal, visto que a Constituição Federal garante o direito à propriedade e à liberdade individual na área privativa. Logo, se uma pessoa deseja ter um pet no seu apartamento, os vizinhos não podem intervir ou ditar regras sobre essa escolha.

No entanto, é preciso que os donos de animais de estimação conheçam as normas de convivência previstas pelo condomínio para que não haja conflitos com a vizinhança. Entre os pontos que normalmente precisam ser observados nesses casos, estão:

  • Ter cuidado com as áreas comuns do prédio;
  • Manter o cartão de vacinas do animal sempre em dia;
  • Ter atenção para que o barulho de cães e gatos não perturbe o sossego dos vizinhos (principalmente entre às 22h e 6h);
  • Respeitar as determinações dos locais que proíbem a circulação dos pets.

2. Tenha atenção em relação às áreas comuns do prédio

As áreas comuns do condomínio, como piscina, playground e elevador, são de responsabilidade de todos os moradores. Portanto, é fundamental que os donos de pet tenham atenção e valorizem o cuidado com esses locais para evitar problemas com os vizinhos.

Caso não existam regras no condomínio que tratem sobre esses cuidados, vale usar o bom senso em determinadas situações, como:

  • Ter sempre uma sacolinha em mãos para recolher as fezes do animal;
  • Evitar deixar o pet sozinho nas áreas comuns;
  • Utilizar focinheira, caso tenha um cachorro de raça considerada agressiva (inclusive o uso é obrigatório em alguns estados do país);
  • Respeitar as determinações que dizem onde os animais podem ou não circular.

3. Cuide da saúde e higiene dos bichinhos e do apartamento

Outro ponto de atenção em relação aos animais de estimação e a boa convivência no condomínio é o cuidado com a saúde e higiene. É importante manter o cartão de vacinas sempre em dia, fazer a vermifugação de forma correta e usar remédios contra pulgas e carrapatos seguindo as orientações do veterinário. Isso vai garantir que o pet não se torne hospedeiro de nenhum parasita capaz de transmitir doenças para humanos.

Já no que diz respeito à higiene, é importante cuidar tanto dos bichinhos quanto do espaço que eles vivem. Ter uma rotina de banho que esteja de acordo com as recomendações do veterinário e limpar frequentemente o apartamento são ações que ajudam a evitar que os vizinhos reclamem de odores provenientes de urina e fezes. 

4. Fique atento na hora do passeio

Sair para passear com um animal de estimação é uma das melhores formas de evitar o estresse causado pelo fato de ficar fechado em um único espaço. Sendo assim, é essencial ter uma rotina de passeios diários com seu pet para que ele fique calmo e não incomode a vizinhança. No entanto, é necessário ter atenção para que esse momento não se torne um problema.

Evite que os bichinhos se aproximem muito das outras pessoas, principalmente se ele for de porte maior. Isso pode acabar causando medo e insegurança nos demais moradores. Também evite deixá-los correr sem supervisão e sempre que for sair para passear, faça o uso da guia para que eles não se afastem muito e acabem andando sozinhos pelo condomínio.

Seguindo esses passos, sem dúvidas será mais fácil viver em harmonia com seu animal de estimação no condomínio. Gostou das dicas do texto de hoje? Então não deixe de compartilhar a sua opinião nos comentários!

COMPARTILHE
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Abra o Chat